Coleção Dunsfold de Land Rovers – Os guardiões da história de Solihull

Coleção Dunsfold de Land Rovers – Os guardiões da história de Solihull

Se para os aficionados dos automóveis uma ida a Inglaterra é como saborear um bolo bem recheado, para os aficionados da Land Rover, a visita há muito desejada para ver a Coleção Dunsfold, foi a cereja no topo desse delicioso bolo. Para quem não sabe, a coleção Dunsfold é seguramente a maior e mais importante coleção privada de Land Rovers do mundo, com cerca de 130 veículos, de (quase) todos os modelos da marca desde a sua fundação até aos nossos dias.

O nascimento da coleção

A coleção foi iniciada em 1968 por Brian Bashall, um apaixonado pela marca desde a sua juventude, que cedo percebeu que o seu gosto por Land Rovers diferentes e únicos era do interesse de outras pessoas.

Naquela altura, a própria Land Rover não tinha condições ou (talvez) o interesse em manter estes veículos que hoje fazem parte da história da marca, e de não ser pela visão de Brian Bashall, muitos deles teriam sido irremediavelmente esmagados na prensa.

Reza a lenda que ao saber do interesse de Brian Bashall por estes veículos, Tom Barton, o então director de engenharia da Land Rover, chegava a telefonar para perguntar se Brian estava interessado em ficar com um ou outro protótipo. Não poucas vezes, ao negociar com a Land Rover o valor de cada um dos veículos, Brian terá chegado a fechar o negócio pelo montante que tiinha nesse momento na caixa dos trocos da sua oficina.

E foi assim, que ao longo dos anos a coleção foi crescendo pela quantidade e raridade do seu espólio, chegando ao número fantástico de cerca de 130 veículos, que a compõem actualmente. O museu alberga actualmente de forma permanente cerca de 40 veículos, enquanto os restantes estão guardados em armazéns e garagens particulares na região sul de Inglaterra, sem que se saiba da sua localização exacta, que para isso servem os amigos da Coleção…

De oficina a Museu

No tempo em que Philip Bashal aqui fazia os restauros de Séries 1  – que o tornaram num dos “experts” mais reconhecidos neste modelo  – o cheiro era o de uma típica oficina de Land Rovers. Porém, desde que o museu abriu as suas portas a 11 de junho de 2023, que ao percorrer as inúmeras estantes espalhadas pelo espaço da Coleção, se sente o aroma de setenta e cinco anos de história da marca, preservada de forma cuidada e apaixonada pela equipa de Curadores e voluntários, quais guardiões de Solihull.  À nossa chegada, Jan e John Richardson, dois dos amigos da coleção, brindaram-nos com as boas-vindas acompanhadas de chá, café e bolos feitos artesanalmente, tudo com etiquetas escritas correctamente em Português. Que detalhe…

A variedade de veículos aqui expostos é impressionante já que para além dos protótipos e veículos de pré-produção, a coleção foi adquirindo exemplos de quase todos os modelos Land Rover desde 1947 (com uma réplica do protótipo “centre steer”), até aos dias de hoje, incluindo veículos militares, recordistas de velocidade, carros reais, edições limitadas e veículos usados em expedições e na fase de testes. Destes modelos, alguns dos protótipos mais recentes ostentam ainda as pinturas de camuflagem utilizadas pela marca para os esconderem dos olhares indiscretos dos jornalistas, e no interior pode ver-se um botão de shutdown usado pelos engenheiros das equipas de desenvolvimento, caso os testes “dessem para o torto”..

Mas se os veículos eram por si só motivo suficiente para passarmos um dia inteiro no museu (pelo menos…), a verdade é que a Coleção vai muito para além disso. Desde o material de publicidade de todas as épocas, a uma coleção de milhares de miniaturas à escala, passando por centenas de cartazes e fotografias, sinais, placas, acessórios, livros, manuais e revistas, é impossível não ficarmos admirados ao ver como as paredes e até o tecto do edifício do museu estão literalmente repletos de elementos alusivos à Land Rover. Estamos seguramente no local do mundo com mais logotipos da oval verde por metro quadrado…

O Land Rover Português

De todos os veículos da coleção actualmente expostos, o que mais nos chamou a atenção foi naturalmente o Série 3 109 1-Ton militar chamado de Portuguese Wader, trazido propositadamente para a nossa visita, de um dos armazéns onde se encontrava guardado. Originalmente desenvolvido em Portugal no início dos anos 70 com o intuito de servir o nosso exército, o projecto não teve continuidade e por isso este modelo foi levado para Inglaterra a fim de ser avaliado pela Land Rover. Abandonada a ideia, foi encostado no parque de protótipos da fábrica de Solihul, de onde foi salvo quase por coincidência por Richard Beddall, hoje um dos Curadores da Coleção Dunsfold.

Embaixadora da Land Rover

Em 2014, a Coleção Dunsfold tornou-se uma fundação registada sendo administrada por um Conselho de Curadores formado por Philip Bashall, Richard Beddall, Andrew Munden e Gary Pusey, cuja missão é garantir que o arquivo e a coleção Dunsfold são preservados para o usufruto das gerações actuais e futuras de entusiastas que, como nós nesta ocasião, têm o privilégio de os visitar e admirar..

Tal é a qualidade e valor do seu espólio, que actualmente a Coleção Dunsfold chega a ceder alguns dos seus veículos à própria Jaguar Land Rover e a outras organizações para eventos de imprensa e marketing, lançamentos de veículos, salões automóveis e trabalhos cinematográficos, operando como verdadeira embaixadora da marca.

Marca Portuguesa na Coleção

Ao bom jeito Português, não poderíamos partir sem antes assinalarmos devidamente esta visita e deixarmos a nossa contribuição para o espólio da Coleção. Depois de presentearmos a Coleção com algumas insígnias do Clube e outras recordações que irão ser expostas nas vitrines do museu, o Presidente do Clube entregou à Coleção o diploma de sócio honorário do Clube Land Rover de Portugal pelos serviços prestados na preservação da história da marca. “Last but not least”, para os curadores, deixamos uma garrafa de vinho do Porto, com que seguramente irão brindar ao futuro desta Coleção tão única quanto a própria Land Rover!

Ver Fotografias

DEIXE UM COMENTÁRIO







O CLRP orgulha-se de ser sócio da ALRC