Expedição a Marrocos 2013

Expedição a Marrocos 2013

Se você pensa que a aventura é perigosa experimente a rotina, ela é mortal.
Paulo Coelho
Marrocos…um destino aguardado com ansiedade e expectativa. Para uns, um regresso, para outros a magia de partir à descoberta do desconhecido.

Dia 22 de Março – Lisboa / Algeciras/ Tétouan

Após um rápido almoço em Rosal de la Frontera devido à chuva que se fazia sentir, arrancámos rumo a Sevilha. Já imbuídos do espírito, deram-se nomes de “código” aos participantes desta viagem com os Defenders “Camioneta” (o guia), “Springbok”, “Kamones”, “Borat, “Babucha” e “Puma”. Também não faltaram à chamada os Range Rovers “Papagaio”, “Pintainho”, “Cobra” e “Melga”. Em minoria numérica, mas não menos destemidos, estiveram os Discovery “Ali Babá” e “Metralha”.

Caloiros nestas andanças, em terras de Algeciras, o “ Ali Babá” e o “Metralha” não puderam deixar de ser praxados, para gáudio dos mais experientes…

É já tarde quando, finalmente, nos libertamos das intermináveis horas de burocracia na fronteira entre Ceuta e Tétouan e prosseguimos viagem.

Dia 23 de Março – Tétouan /Baía de Al Hoceima/ Nador

Saturados da chuva que teimava em cair em Portugal, ansiávamos todos por um Verão antecipado em Marrocos. No entanto, no decorrer do almoço, a caminho de Nador, fomos surpreendidos por uma forte queda de gélidos flocos de neve. Arrumámos a “tenda” à pressa para assistir ao magnífico espectáculo no conforto dos nossos Lands, e por volta das cinco da tarde, avistámos o mar na lindíssima baía de Al Hoceima.

Ao chegar ao hotel em Nador, fomos recebidos com um agradável chá de menta e um sortido de biscoitinhos deliciosos.

Dia 24 de Março – Nador/Guercif/Pista

Partida para Guergif. Entre bátegas de chuva e sorrisos de sol, a temperatura mantém-se mais ou menos amena. Paramos em Guercif para nos abastecermos de pães marroquinos que, semelhantes a umas rodas com um orifício no meio, fazem as delícias de todos.

No decorrer do almoço aparecem, vindos do nada, uns garotos a pedir comida: “manger, manger, madame…” Como podemos resistir?

Após o delicioso e sempre esperado café, patrocinado pela “Camioneta”, é tempo de prosseguir viagem. A paisagem começa agora a transformar-se, passando de verde e viçosa a uma paisagem mais tipicamente africana. A caravana volta a parar, desta vez para entregar um saco com roupa a uma família berbere.

São 19.00h e damos por encerrada a nossa jornada deste dia. Depois de preparar o acampamento é tempo de fazer o jantar que se reveste de iguarias variadas, desde bacalhau com natas, chouriço assado, costeletas grelhadas até à famosa sopa da pedra do Armando.

A noite foi animada e bem aquecida pelo xarope do Armando, pelo vinho do Porto e outros que tais…

Alguns de nós já quase dormíamos quando fomos despertados pelo estribilho da “Grândola Vila Morena”, entoada por uns “cantores” brincalhões, talvez ainda a recuperar do clima político que deixámos em Portugal.

Dia 25 de Março – Pista/ErRachidia

São 8.00h da manhã e já desfizemos o acampamento. Continuação do percurso em pista. Passamos por muitas estradas de areia e pedra e acabamos a sopa da pedra da noite anterior ao almoço. Cansados da longa jornada mas animados, chegamos ao nosso hotel em ErRachidia.

Dia 26 de Março – ErRachidia/Merzouga

A caminho do Erg Chebbi, paramos no vale de Erfond. Às 9.00 o ‘Camioneta’ brinda-nos com um “cafezinho” que não tínhamos conseguido tomar no hotel. Mais adiante tivemos uma paragem forçada devido a um amortecedor no Range do ‘Pintainho’ que decidiu ceder face ao esforço que lhe foi pedido. Os Lands rolam sob uma temperatura escaldante de 39ºC. Depois de substituído o amortecedor, seguimos agora viagem por uma das pistas utilizadas há muitos anos atrás no mítico rally “Paris-Dakar”. Paralelamente à pista há uma enorme cadeia de montanhas, para lá da qual se encontra a Argélia.

Paramos para almoçar num oásis quando, a meio do almoço, somos surpreendidos por uma forte mas breve tempestade de areia. Os pratos e os copos voam-nos literalmente das mãos, e perdem-se talheres que ficam enterrados na areia… Foi só um susto, está tudo bem, e prosseguimos.
Chegada ao Kasbah Hotel Chergui, um verdadeiro Oásis na aridez de todo o nosso cansaço.

Dia 27 de Março – Merzouga

Depois de um bom pequeno-almoço partimos rumo a Merzouga. Almoçamos junto às dunas sob um calor escaldante e o Armando volta a presentear-nos, desta vez com umas deliciosas salsichas com alho e louro.

Por volta das 16.00h, paramos no café “Yasmina”, outro oásis no meio do deserto, para tomar um refrigerante ou um chá de menta, a fim de nos refrescarmos e esperarmos que arrefeça a temperatura exterior e a dos próprios Lands.

Mais tarde encontramos um Berbere que sobe e desce as dunas na sua motocicleta, tão facilmente como se passeasse numa avenida, e nos guia até ao local do nosso acampamento de hoje. Depois de montado o acampamento, aparece outro Berbere que se junta ao nosso “guia” e ali permanecem junto a nós, vendendo os seus produtos e deliciando-se com uma taça de arroz de feijão, feita pelo nosso “chef” Armando.

Dia 28 de Março – Merzouga/ Mhamid

São 5.00h da manhã e toca o despertador. O sol ainda não nasceu no deserto e já nos preparamos para irmos até ao Oásis. Só alguns de nós ingressam nesta aventura. Depois de nos deliciarmos com o nascer o sol pomo-nos a caminho. Após uma viagem divertidíssima de subidas e descidas nas dunas, verdadeiras ondas num mar de areia, chegamos finalmente ao destino mais almejado: o Oásis. Valeu a pena o esforço de nos levantarmos de véspera.

Após regresso ao acampamento, em breve estamos de novo prontos para partir, desta feita, rumo a Mhamid.

No final do dia, chegamos exaustos ao hotel “Kasbah Azalay”. Só apetecia tomar um banho e enfiarmo-nos na cama, mesmo sem comer… mas o grupo é bem animado e sabe bem o convívio à mesa do jantar.

Dia 29 de Março – Erg Chegaga/Iriki/Ouarzazat

São 7.00h da manhã e é hora de levantar após uma noite bem dormida e relaxada. De repente damo-nos conta que hoje é sexta-feira santa em Portugal.
Preparamo-nos para seguir viagem a caminho do lago Iriki. O ar está quente e a areia solta-se facilmente na passagem dos Lands, levantando muito pó no ar.

Chegamos ao lago Iriki, enorme nos seus 11km de comprimento e 3km de largura. Aqui os Lands “ganham asas” numa corrida sem tréguas, cuja única regra é estar atento aos outros para não chocarem uns com os outros. A sensação de liberdade, num espaço em que o limite era o céu, foi indescritível.

Ao final da tarde chegámos finalmente a Ouarzazat depois de uma estrada interminável de curvas, contracurvas e desfiladeiros que atravessam a cordilheira do Atlas. A cidade, cujo estúdio de cinema foi palco das filmagens do filme “Cleópatra”, recebe-nos nas suas amplas avenidas de urbanização agradável.

Dia 30 de Março – Ouarzazat/Telouet/Marrakech

Seguimos viagem rumo a Telouet. Paragem em Hait Ben Hadou, cenário do mítico filme “Lawrence da Arábia”. A paragem vale a pena pois trata-se de um monumento deslumbrante.
Desta vez, comemos um almoço tipicamente berbere nas montanhas do Atlas, num “auberge”. Todos gostámos das famosas Tagines de Boeuf ou de Poulet, da deliciosa salada de tomate, do pão “guloso” e da omeleta de tomate…

Após viagem através de uma magnífica paisagem de montanhas, planaltos e campos verdejantes, chegamos a Marrakech.
Depois de um rápido banho no hotel, dividimo-nos em grupos e apanhamos táxis ou “petit” táxis para o centro da cidade até à Medina. Aqui o trânsito é de loucos! Socorro!…

Na Medina sente-se no ar uma mistura de fragrâncias, desde âmbar e jasmim, a canela e açafrão! Os cheiros misturam-se com o colorido dos pregões: “madame, monsieur, des babouches…”. As vozes entrelaçam-se com as orações na Mesquita. Respira-se um ar quente e exótico, envolto em óleo de Argão. Não há dúvida, estamos em Marrraquech…

Dia 31 de Março – Marraquech/ Asilah

Aproveitamos a manhã para visitar a cidade e fazer mais algumas compras na Medina e nas “Pharmacies Berbere”. Por volta das 11.00h prosseguimos a nossa viagem rumo a Asilah.
À noite no hotel, partilhamos o último jantar de grupo em terras do Reino de Marrocos em animada e sã convivência.

Dia 1 de Abril – Asilah/Ceuta/Lisboa

O dia do regresso começa com a alvorada às 5.00h da manhã com destino a Ceuta. O céu está cinzento e já chove. Tal como o tempo, o nosso semblante está triste e melancólico pelo aproximar do final desta magnífica viagem. Terminou esta aventura, mas regressamos todos mais ricos, com os novos amigos que fizemos e as histórias que vivemos e ansiamos por contar… Agradecemos o empenho, a dedicação e a simpatia de todos quantos fizeram parte da organização desta viagem. Até à próxima aventura!

ISABEL CASTELO BRANCO

Veja a reportagem fotográfica:
Marrocos 2013

DEIXE UM COMENTÁRIO