Um Dia na Lama 2016

Um Dia na Lama 2016

O dia 30.01.2016 viu, cerca das 09.30 horas, o início da 4ª edição do “Um dia na Lama”, aquele que é, tradicionalmente, o primeiro e o mais duro dos passeios anuais do CLRP.

Como tem sido hábito a zona de Torres Vedras foi a escolhida e as expectativas não foram goradas.
Trinta Land Rovers (Series, Defenders RR Classics e Discoveries) responderam à chamada e partiram à descoberta da zona norte de Torres Vedras e partes do Cadaval e Alenquer.
O percurso iniciou-se por entre eucaliptais e rapidamente chegou ao primeiro dos obstáculos: um corta fogo em arenito. Nenhum problema … só um atascanso: o de um dos carros da organização (AAAAAhhhhh !!!!! )
Siga …

Próximo obstáculo: O rio em Vila Facaia.
A organização criou um percurso principal em que se atravessavam cerca de 30 metros em leito de rio. À parte havia uma alternativa fácil para todos.
Os mais afoitos foram pelo leito do rio e lá ficaram … todos … excepto o nº 14, o único a passar sem guincho e a fazer jus à capacidade dos Discoveries. Pelo feito, no jantar, foi brindado com uma cinta, oferta das Peças Land Rover, patrocinador do evento.

A cinta ser-lhe-á necessária em próximas aventuras, estamos certos.
Quanto ao resto dos participantes as galochas fizeram serviço, as enxadas e as pás deram uma ajuda e os guinchos foram postos à prova.
Obstáculo ultrapassado.

Próximo obstáculo: túnel debaixo da linha de ferro do Oeste.
O problema não era tanto o túnel que estava cheio de água mas tinha o chão fixe. À saída dele, pela esquerda, estava um barranco com uma vala ao centro. E não era que a malta tinha a tendência de escorregar na lama e cair na vala?

Mais uma vez os guinchos funcionaram, as pás cavaram e as enxadas ajudaram com alguns a passar, outros a baquejar e a borregar e com muitos a aplaudir os que tentavam subir.
Mais um obstáculo ultrapassado e eis que chega a hora do almoço, o qual decorreu em franca confraternização.
Retemperados, de barriga cheia e com os pés secos (alguns) seguiram viagem os 30 Land Rovers por entre eucaliptais e lameiros maiores ou menores. Chegados ao Vilar todos foram brindados com mais ou menos 3 quilómetros de lama onde todos puderam rabiar e uns quantos puderam experimentar a sensação de ir à valeta e ser rebocado.

Até Pero Moniz escolhemos lama daquela vermelha, tipo tijolo e pegajosa mas a verdade é que os indomáveis esgravataram muito e saíram melhor dos obstáculos que lhes pusemos à frente.
Chegados a Pero Moniz, a organização decidiu recordar os Camel Trophy e pôs todos a andar por caminhos velhos, pouco usados e que os Land Rover tiveram de abrir.
Daqui até à charca do javali foi um pulo. O nome foi dado por nós depois de um dos Land Rover da organização ter sido laçado durante um dos reconhecimentos.

Desta vez não vimos o laço e do javali nenhum sinal. Por sinal a charca estava lá e foi um “Deus me acuda”. Água parada, devidamente envolvida em terra, lama até às cavas das rodas e cruzamentos de eixo … Sai guincho.
E assim foi: guinchos, puxões, luzes, cintas presas às árvores e todos foram saindo. Nem todos passaram, é certo, mas apenas porque o dia já ia longo pela noite e alguns rumaram a Torres Vedras sem passar o obstáculo.
Terminou o dia no Páteo do Faustino com todos contentes, muitos sujos e com os carros castanhos.

Numa nota pessoal foi um excelente dia, bem passado com amigos e com um sorriso.
O “Um dia na Lama” é uma aposta ganha num figurino único nos nossos passeios.
Tratou-se de por à prova as capacidades dos nossos Land Rover mas essencialmente o espirito de equipa e a camaradagem entre todos nós e todos, sem excepção, estão de parabéns.

Não deixo de salientar aqui o apoio das Peças Land Rover ao patrocinar o evento e de agradecer à Câmara Municipal de Torres Vedras o empenho em conseguir em curto espaço de tempo, o licenciamento do passeio.

Bem hajam a todos por um dia excelente.

DEIXE UM COMENTÁRIO